Hepatologia

A hepatologia é o estudo do fígado. Também pode ser considerada a área da medicina que estuda e cuida de doenças relacionadas ao mesmo.

No CEDIG, possuímos médico hepatologista, dedicado ao atendimento dos pacientes portadores de doenças relacionadas ao fígado, como : Hepatites, Esteatose, Cirrose, Cancer hepático e das vias biliares.

Hepatologia

HEPATITE C

É uma infecção provocada pelo vírus da hepatite C. Quando o vírus infecta o ser humano, provoca inflamação no fígado, a chamada hepatite aguda, a maioria sem qualquer tipo de sintomas. Esta hepatite, em aproximadamente 70% dos casos, permanece para sempre. É a chamada hepatite crônica, que pode evoluir para cirrose em aproximadamente 20% dos casos e mais tarde para câncer do fígado. Isto pode durar cerca de 40 anos, sem qualquer sintoma. Um dos fatores mais importantes para o seu agravamento é o consumo excessivo de álcool.

COMO SE CONTRAI A HEPATITE C ?

Os principais meios de contaminação são o uso compartilhado de material usado no consumo de droga, por via endovenosa ou nasal, transfusões realizadas antes de 1992 e, mais raramente, relações sexuais de risco.

QUAIS OS EXAMES PARA AVALIAÇÃO DA DOENÇA?

Análises no sangue: transaminases (AST e ALT), GGT, entre outras. As características do vírus são avaliadas através de duas análises:

1 - carga viral, ou seja, a quantidade de vírus existente no sangue (RNA- VHC);

2 - o tipo de vírus da hepatite C, o chamado genótipo. Outros exames importantes: ultrassonografia abdominal e a chamada biópsia hepática. Esta consiste na colheita de um fragmento do fígado através da pele, com uma pequena agulha, e sua avaliação ao microscópio.

DEVEMOS TRATAR A HEPATITE C ?

Sim. Por duas razões: por um lado, para impedir a evolução para cirrose e câncer do fígado e, por outro, evitar o contágio de outras pessoas.

EXISTE CURA?

Sim. Pode-se ter cura.

COMO É O TRATAMENTO

Vai ser necessário receber uma injeção semanal subcutânea de Interferon Peguilado (Pegasys® ou Peg-intron®) associado a ingestão via oral de 4 a 6 comprimidos por dia de Ribavirina. São medicamentos que, por um lado, tentam controlar o crescimento do vírus (antiviral) e que, por outro, judam as nossas defesas a combatê-lo (imunomoduladores). Não tem nada a ver com quimioterapia!

É PRECISO APLICAR SEMPRE AS INJEÇÕES NO HOSPITAL?

Não, de modo algum. O ideal é aplicar você próprio a injeção. É fácil, é semelhante a uma injeção de insulina.

QUANTO TEMPO DURA O TRATAMENTO?

No genótipo 1, na maioria dos casos 48 semanas.

Mas pode durar 12 ou 24. No genótipo 2 e 3, dura 24 semanas.

O TRATAMENTO PROVOCA REAÇÕES?

Sim, pode provocar, por vezes, mas nem sempre. As mais frequentes são: Febre, dores musculares, mal estar, geralmente após as primeiras injeções. Isto ocorre em metade dos casos. Irritabilidade, instabilidade emocional, insônia, algumas vezes, depressão. Emagrecimento, as vezes, pode ser acentuado. Ligeira queda do cabelo (nem sempre). Alterações da tireóide (órgão no pescoço). Anemia provocada pela Ribavirina (10%), baixa dos glóbulos brancos (20%). Alterações da pele (pele seca, manchas no local da injeção). As alterações desaparecem depois do tratamento.

Se você esta dentro de um grupo de possível contaminação, procure um médico, e faça um teste.
LEMBRE-SE HEPATITE PODE TER CURA.

O QUE É O ESTEATOSE HEPÁTICA (FÍGADO GORDUROSO)?

Fígado gorduroso, significa acúmulo de gordura nas células do fígado. O termo médico utilizado é esteatose hepática.

QUAIS SÃO AS CAUSAS DE FÍGADO GORDUROSO?

Umas das principais causas de gordura no fígado é o consumo de bebida alcoólica. Porém, pode aparecer em pessoas que não ingerem álcool, designando-se de fígado gorduroso não-alcoólico (esteatohepatite não-alcoólica, com frequência conhecida pelas iniciais em inglês - NASH). Pode surgir no contexto da chamada síndrome metabólica, isto é, em pacientes com excesso de peso/obesidade, diabetes e dislipidemia (alterações no colesterol ou triglicerídeos). O uso de alguns medicamentos (como a amiodarona, os estrogênios, os corticóides, o tamoxifeno, os medicamentos para AIDS), certas doenças metabólicas genéticas, a perda de peso rápida, formas artificiais de nutrição, a ingestão de toxinas, (produtos químicos e cogumelos como o amanitas phalloides) são outras causas, porém raras, de esteatose hepática.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

A maioria dos doentes não apresenta sintomas. No entanto podem surgir cansaço e dor ou desconforto na área do fígado, localizado no quadrante superior direito do abdômen.

COMO FAZER O DIAGNÓSTICO?

Habitualmente, a esteatose hepática é um achado encontrado durante a ultrassonografia, em um exame de rotina, onde detecta-se um fígado brilhante e/ou aumentado de tamanho.

Pode suspeitar-se através de exames de sangue alterados, através de aumento das enzimas hepáticas (transaminases), em doentes obesos, diabéticos e/ou dislipidêmicos. É necessário excluir outras causas de doenças hepáticas, como as hepatites virais (hepatite B ou C). A biópsia do fígado, é o exame que nos permite confirmar o diagnóstico e avaliar a intensidade da inflamação das células do fígado. No entanto raramente é necessária.

Veja os serviços prestados

Convênios

  • Advance
  • Allianz Saúde
  • Ameplan
  • Amil
  • Apeoesp
  • Bradesco Saúde
  • Caixa Seguros
  • Care Plus
  • Cassi
  • Cetesb
  • Classes Laboriosas
  • Dix
  • Economus
  • Fundação CESP
  • Gama Saúde
  • Grupo Saúde Bresser
  • Hapvida
  • Intermedica
  • Itau
  • Life Empresarial
  • Mapfre
  • Marítima Saúde
  • MedService
  • Metrus
  • Notredame
  • Omint Saúde
  • Ônix
  • Portomed
  • Porto Seguro
  • Sabesprev
  • Santamalia
  • Saúde Secular
  • SP Trans
  • Sul America Saúde
  • Unafisco
  • Unimed
  • Unimed Rio
  • Unimed Seguros