Artigos: Nutrição

Alimentação saudável: Nunca é tarde para começar!

Alimentação Saudável

O segredo de uma vida longa e saudável está nos hábitos, tanto de vida quanto alimentar. Segundo pesquisas científicas, os fatores que influenciam no risco para a saúde são: 51% a dieta, 20% a hereditariedade, 19% o ambiente (poluição, clima) e 10% as doenças que não podem ser prevenidas. Através desses dados, podemos observar a importância da alimentação para nossa saúde.

Alimentação e sono: Como está o seu?

Alimentação e Sono

Uma boa noite de sono é muito mais eficiente do que muitos imaginam! É impressionante como o número de horas dormidas pelas pessoas está cada vez menor. E o seu sono como está?

A qualidade do sono tem um enorme impacto sobre a vida cotidiana. Ter uma noite de sono deficiente poderá afetar o trabalho e a concentração. Durante o sono, nosso corpo e mente se recuperam, fazendo com que você se sinta descansado pela manhã.

Condimentos e Especiarias

Temperando alimentos e criando seduções à mesa

O prazer da mesa é de todas as idades, de todas as condições, de todos os países e de todos os dias; pode-se associar-se a todos os outros prazeres e sobra como último para consolar-nos da perda dos outros.


Brillat Savarin - Fisiologia do Gosto – 1848

Relatos Históricos

Carl Von LinnéCarl von Linné, latinizado Carolus Linnaeus e conhecido como Linneu (1707 - 1778), Professor, médico, botânico e biólogo, naturalista, sueco, fundador da moderna sistemática de classificação para plantas e animais. Produziu vários livros, entre eles uma obra que lhe trouxe notoriedade internacional, Systema Naturae (1735), um livreto de 12 páginas tratando sobre os reinos animal, mineral e vegetal, a primeira de suas publicações, que depois (1758/59) atualizou em 2 novos volumes.

Ele agrupou em classes, ordens, gêneros e espécies as plantas já conhecidas e as que então eram descobertas em ritmo acelerado. Para identificá-las de modo válido em todo o mundo, atribuiu-lhes um primeiro nome em latim, correspondente ao gênero, e um segundo, que indicava a espécie. A nomenclatura binomial trouxe imediatos progressos ao estudo da botânica e manteve-se ainda em vigor na classificação sistemática dos seres vivos. A este cientista se deve vários termos técnicos, entre eles fauna, flora e mamíferos. Sua grande invenção prática foi inverter a escala centígrada para a usada em nossos atuais termômetros Celsius. É considerado o fundador da história natural moderna.

Não podemos falar de condimentos sem fazermos reverências a este grande homem, pois classificou e apresentou para o mundo moderno a maioria das plantas encontradas nos novos mundos: América, África e Índias, pois seus alunos e discípulos eram ávidos coletores de novas espécies. Praticamente todos os condimentos e todas as ervas, utilizadas na culinária, possuem classificações de Linneu. Por isso, encontramos a palavra Linn após o nome científico.

E sua classificação muitas vezes, baseava-se em seu nome conhecido entre usuários e nativos, como o chocolate, como já descrito anteriormente, ou por suas propriedades terapêuticas difundidas naquela época.

Usos de especiarias nos tempos

Quando estudamos os hábitos culinários da idade média vemos que, pela dificuldade de conservação dos alimentos, fazia-se uso, as vezes exageradamente, de condimentos para impedir, dificultar ou mascarar sua deterioração, mas deixava tudo com o mesmo gosto e por muito tempo não foram modificados. A lista de especiarias em uso nos séculos XIV e XV reproduz mais ou menos textualmente a que figurava dez ou doze séculos antes, apesar de em determinados locais desenvolverem culinárias distintas por interferência dos seus imigrantes. Como o açafrão, introduzido na Espanha pelos mouros e apreciado por toda a Europa durante a Idade Média. Mas é claro que deve ser levado em conta, para explicar essa cozinha à base de especiarias. A influência oriental e árabe, da Espanha muçulmana e também na Sicília.

Muito Além do Jardim...

Da salsa a mais exótica erva, várias possibilidades de uso e seus benefícios para a saúde

Gastronomia: breve relato

A Revolução Francesa (1789) foi responsável por modificar, profundamente, o significado do ato de comer, tanto a maneira de realizá-lo como o seu lugar nas atividades familiares e sociais. A gastronomia começou a ter evidência, pois eram exatamente as preparações culinárias, suas apresentações e seus temperos, que faziam a diferença entre os restaurantes, divulgada agora pelos apreciadores e conhecedores.

Não se pode querer entender de gastronomia, muito menos compreender sua importância para a nutrição, sem conhecer a história e entender como os costumes alimentares são fortes.

Ervas e alimentação na História

Nos dias de hoje, de fast foods, apagões, stress, poluição... Quem não deseja um modo de vida mais saudável e natural? Por milhares de anos se buscou nas ervas e nas plantas a cura para tratar doenças e amenizar dores. As mesmas ervas e plantas utilizadas por antigos povos, que continuaram a ser valorizados através dos tempos. Apesar de a sociedade saber do importante poder curativo de certas ervas e plantas, e sem conseguirem explicar seus poderes medicinais, foram atribuindo poderes sobrenaturais. A diferença entre poderes curativos e tóxicos das ervas, muitas vezes está na quantidade utilizada e na freqüência do seu uso.

Pimentas (Capsicum)

Pimentas escritas assim no plural, para designar plantas de diversas famílias onde inclusive entram os pimentões. “De cheiro”, “ardida”, “doce”, frutos ou grãos, diversas cores e tamanhos; todas possuem em concentrações variadas uma importante substância, a capsiacina. Possuem também outras substâncias que causam ardência, e estas substâncias estão principalmente concentradas nas sementes e na membrana branca interna. Por isso que sementes e as membranas brancas devem ser desprezadas, principalmente na preparação de molhos, conservas ou na culinária.

Alimentos Diet e Light. Há Diferença?

Existe uma confusão natural entre o alimento tipo diet e os que são denominados de light. Ambos os vocábulos são emprestados do idioma inglês, mas a tentativa de traduzir para "alimento dieta" e "alimento leve" não pegou. Todos falam diet e light e a maioria dos consumidores associa essas denominações como sendo produtos de baixas calorias e, consequentemente, recomendados para pessoas que desejam perder peso.

Engano! Alguns alimentos diet surpreendentemente podem ter mais calorias que o produto original.

Intolerância à Lactose

A intolerância à lactose é caracterizada pela deficiência do organismo em produzir a enzima lactase. Esta enzima é responsável pela quebra da lactose – o açúcar presente no leite. Sem esta enzima a lactose não será digerida e absorvida. A presença desta lactose intacta, ou seja, que não foi aproveitada pelo organismo, causa alterações na parede do intestino, promovendo sintomas característicos desta intolerância, tais como dores abdominais, gases e diarréia.

A lactose está presente em quantidade significativa no leite de vaca, e em menor escala no leite de cabra. Já os derivados de leite possuem quantidades bem menores de lactose, já que o fermento lácteo utilizado na prepararão de coalhadas, iogurtes e queijos irão degradar a lactose e acidificar o alimento.

Dietas Especiais

Seja durante internação hospitalar ou para a vida quotidiana, o paciente está passivo a diversas dietas terapêuticas específicas, além das específicas para o pré e pós operatório. Estas dietas podem ser temporárias ou permanentes e sendo assim serão seguidas após a alta hospitalar ou durante sua vida.

O profissional habilitado para desenvolver, acompanhar ou modificar as dietas alimentares é o nutricionista, o que garante a preservação da saúde e a manutenção dos nutrientes durantes estas práticas alimentares.

Existem dietas específicas padronizadas, delineadas para atender restrições ou necessidades especiais. Estão baseadas em padrões dietéticos apropriados.

Alimentando o Cérebro


O mundo de hoje exige cada vez mais, temos que lidar com um grande número de informações, nos superar no nosso ambiente de trabalho e ainda cuidar da nossa família, do nosso corpo. Nem sempre a nossa alimentação atende a essa demanda excessiva e a dificuldade de raciocinar, de gravar informações e de criar, torna-se constante.

E o que a alimentação tem a ver?


Alimentação Saudável

A alimentação saudável tem muito a ver com as quantidades que se consome de cada grupo de alimentos.

Não basta somente selecionar os alimentos corretos com qualidade, é necessário que as quantidades sejam proporcionais e adequadas às necessidades de cada um e em cada fase da vida. Como também é importante que os alimentos se harmonizem e possam gerar prazer a quem come. Estimular os cinco sentidos é questão obrigatória nos cardápios.

A pirâmide alimentar é um guia alimentar que contribui para orientar na montagem dos cardápios. Existem também rodas e pratos como guias.

As pirâmides mais atuais indicam também a pratica saudável de atividade física, constante e diária.

Os princípios básicos da alimentação são incontestáveis: comer proporcional movimentar-se mais, incluir frutas, hortaliças e grãos integrais na dieta, não importa que tipo de pirâmide ou guia alimentar você siga como referência.

Frutas Antioxidantes para Prolongar a Juventude e a Saúde

A vida em ritmo acelerado, o desgaste físico e mental constante e a má alimentação são geradores de radicais livres, que agridem cada célula do organismo, comprometendo o bom funcionamento e levando ao envelhecimento precoce. A forma de proteger o organismo dos efeitos destes radicais livres é consumir alimentos ricos em substâncias antioxidantes.

O baixo consumo de frutas, que são ricas em antioxidantes, está entre os dez principais fatores de risco associados à ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis.

Por esse motivo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) incentiva o aumento do consumo de frutas vermelhas, frescas ou em suco, dadas as suas propriedades antioxidantes benéficas para a saúde. 

Dicas Nutricionais

A dietoterapia, ou seja, o tratamento através dos alimentos é muito importante nas doenças do sistema digestivo. Um acompanhamento nutricional e o restabelecimento da flora intestinal são primordiais.

A primeira regra para uma boa alimentação e digestão é comer devagar e mastigar muito bem os alimentos. A hora da refeição deve ser reservada para este fim, ou seja, não interromper ou comer em pé e com pressa; é necessário sentar e saborear a refeição.

É necessário estabelecer horários regulares de refeiçã. O ideal é fazer ao menos 5 refeições ao dia. Não se deve ficar muito tempo sem alimentar-se.

Variar na escolha do tipo da carne, ou seja, alternar as preparações com frango e peixe. Carne de gado deve ser magra e se gorduda visível e no máximo 3 vezes por semana. Dê preferência as preparações assadas, cozidas ou grelhadas.

Veja os serviços prestados

Convênios

  • Advance
  • Allianz Saúde
  • Ameplan
  • Amil
  • Apeoesp
  • Bradesco Saúde
  • Caixa Seguros
  • Care Plus
  • Cassi
  • Cetesb
  • Classes Laboriosas
  • Dix
  • Economus
  • Fundação CESP
  • Gama Saúde
  • Grupo Saúde Bresser
  • Hapvida
  • Intermedica
  • Itau
  • Life Empresarial
  • Mapfre
  • Marítima Saúde
  • MedService
  • Metrus
  • Notredame
  • Omint Saúde
  • Ônix
  • Portomed
  • Porto Seguro
  • Sabesprev
  • Santamalia
  • Saúde Secular
  • SP Trans
  • Sul America Saúde
  • Unafisco
  • Unimed
  • Unimed Rio
  • Unimed Seguros