Alimentando o Cérebro


O mundo de hoje exige cada vez mais, temos que lidar com um grande número de informações, nos superar no nosso ambiente de trabalho e ainda cuidar da nossa família, do nosso corpo. Nem sempre a nossa alimentação atende a essa demanda excessiva e a dificuldade de raciocinar, de gravar informações e de criar, torna-se constante.

E o que a alimentação tem a ver?


Alimentação Saudável

A alimentação saudável tem muito a ver com as quantidades que se consome de cada grupo de alimentos.

Não basta somente selecionar os alimentos corretos com qualidade, é necessário que as quantidades sejam proporcionais e adequadas às necessidades de cada um e em cada fase da vida. Como também é importante que os alimentos se harmonizem e possam gerar prazer a quem come. Estimular os cinco sentidos é questão obrigatória nos cardápios.

A pirâmide alimentar é um guia alimentar que contribui para orientar na montagem dos cardápios. Existem também rodas e pratos como guias.

As pirâmides mais atuais indicam também a pratica saudável de atividade física, constante e diária.

Os princípios básicos da alimentação são incontestáveis: comer proporcional movimentar-se mais, incluir frutas, hortaliças e grãos integrais na dieta, não importa que tipo de pirâmide ou guia alimentar você siga como referência.

Incontinência Fecal

Incontinência fecal é a perda involuntária de fezes.

Esta doença é mais comum em idosos, mas mulheres jovens podem ser acometidas por esta enfermidade, pois está relacionada com o parto normal.

Gastrite

A gastrite é uma doença inflamatória que se caracteriza por acometimento da camada de tecido mais superficial que reveste o estômago, chamada de mucosa gástrica. Essa inflamação desenvolve-se como uma resposta normal do organismo quando ocorre uma agressão às suas células. Entretanto, essa resposta normal pode levar ao desenvolvimento de sinais e sintomas característicos dessa doença. A agressão que desencadeia o processo pode ser aguda ou crônica e, de acordo com seus tipos, podemos classificar as diversas formas de gastrite.

O que causa a gastrite?

A gastrite pode ser causada por diversos fatores diferentes.

Constipação Intestinal

Esta enfermidade é caracterizada pela frequência evacuatória menor ou igual a 2 vezes por semana ou ainda por pessoas que apesar de evacuarem diariamente reclamam da dificuldade para evacuar.

A principal causa da constipação é o erro alimentar, principalmente em uma sociedade  com tempo restrito para alimentação e com fast-foods por todos os lados, onde o que se ingere são na sua maioria lípides e carboidratos com absoluta falta de fibras.

Hemorróida

Todos conhecemos alguém que já passou pelo sofrimento da primeira evacuação após uma cirurgia de hemorróida, isso quando não passamos nós mesmos por esta dor.

A lembrança é fatalmente a mesma: ou a passagem de um abacaxi pelo corte, ou de um gato com as unhas para fora, ou de um gato com as unhas para fora segurando um abacaxi.

Felizmente, com o tempo, esta lembrança é esquecida. Entretanto existe um "fantasma" que assombra os indivíduos que se submeteram a cirurgia de hemorróida: a incontinência fecal, que nada mais é que a perda involuntária de fezes; mas comumente causada por danos aos músculos anais - assoalho pélvico - decorrentes de trabalho de parto prolongado (podendo manifestar-se até 50 anos após), ou pela constipação intestinal crônica, pela lesão ao nervo pudendo-nn que inerva os músculos anais ou pelo próprio envelhecimento do corpo  que também afeta o sistema de evacuação.

Helicobacter Pylori

O Helicobacter pylori, mais conhecido por H. pylori, é uma bactéria que vive no nosso estômago e duodeno, sendo responsável pela mais comum infecção bacteriana crônica em seres humanos. O H.pylori tem sido reconhecido em todas as populações do mundo e em indivíduos de todas as idades. Estimativas sugerem que cerca de 70% da população brasileira possui o estômago colonizado por essa bactéria.

O H.pylori apresenta alguns "truques" evolutivos que permitiram a ele se adaptar ao meio ácido do estômago. A bactéria produz substâncias que neutralizam os ácidos, formando uma espécie de nuvem protetora ao seu redor. Além desta proteção, o H.pylori consegue ultrapassar a barreira de muco que o estômago possui para se proteger da própria acidez.

Como se pega o Helicobacter pylori?

Sabemos que a transmissão pode ocorrer de uma pessoa contaminada para uma pessoa sadia através do contato com vômitos ou fezes, este último geralmente sob a forma de águas ou alimentos contaminados.

A água contaminada, principalmente nos países em desenvolvimento, costuma servir como uma fonte de bactérias. O H.pylori consegue permanecer viável na água por vários dias.

Halitose ou Mau Hálito

Halitose ou mau hálito é a exalação de odores desagradáveis oriundos da cavidade bucal através da respiração, sendo que em 90% dos casos, a saburra lingual é a causa do problema.

Como o olfato se adapta rapidamente (fadiga da papila olfatória) a qualquer odor constante, o portador de halitose acostuma-se com o próprio hálito, não sendo capaz de perceber o seu problema, sendo na maioria das vezes alertado quanto ao problema por uma pessoa próxima.

A halitose é um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio e deve ser identificado e tratado. Existem mais de 50 causas e, em aproximadamente 90% dos casos, se manifestam na boca.

Pode ser de origem fisiológica (hálito da manhã, jejum prolongado, dietas inadequadas...), razões locais (higiene bucal deficiente, placas bacterianas retidas na língua (saburra) e/ou amígdalas, baixa produção de saliva, doenças da gengiva...) ou mesmo razões sistêmicas (diabetes, problemas renais ou hepáticos, prisão de ventre e outros).

No CEDIG voce encontrara a cura para este problema tão desagradável.

Frutas Antioxidantes para Prolongar a Juventude e a Saúde

A vida em ritmo acelerado, o desgaste físico e mental constante e a má alimentação são geradores de radicais livres, que agridem cada célula do organismo, comprometendo o bom funcionamento e levando ao envelhecimento precoce. A forma de proteger o organismo dos efeitos destes radicais livres é consumir alimentos ricos em substâncias antioxidantes.

O baixo consumo de frutas, que são ricas em antioxidantes, está entre os dez principais fatores de risco associados à ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis.

Por esse motivo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) incentiva o aumento do consumo de frutas vermelhas, frescas ou em suco, dadas as suas propriedades antioxidantes benéficas para a saúde. 

Dicas Nutricionais

A dietoterapia, ou seja, o tratamento através dos alimentos é muito importante nas doenças do sistema digestivo. Um acompanhamento nutricional e o restabelecimento da flora intestinal são primordiais.

A primeira regra para uma boa alimentação e digestão é comer devagar e mastigar muito bem os alimentos. A hora da refeição deve ser reservada para este fim, ou seja, não interromper ou comer em pé e com pressa; é necessário sentar e saborear a refeição.

É necessário estabelecer horários regulares de refeiçã. O ideal é fazer ao menos 5 refeições ao dia. Não se deve ficar muito tempo sem alimentar-se.

Variar na escolha do tipo da carne, ou seja, alternar as preparações com frango e peixe. Carne de gado deve ser magra e se gorduda visível e no máximo 3 vezes por semana. Dê preferência as preparações assadas, cozidas ou grelhadas.

Mitos e Verdades Sobre Hemorróidas

Os homens tem mais hemorróidas do que as mulheres.
MITO - A proporção entre homens e mulheres é a mesma

Mulheres grávidas têm maior propensão a terem hemorróidas.
VERDADE - Durante o período gestacional ocorre um acúmulo de líquido corporal e uma dificuldade natural de retorno venoso.

Relação sexual anal causa hemorróida.
MITO - A formação de hemorróidas têm a ver com a predisposição genética e outros fatores desencadeantes.

Pimenta causa hemorróida.
MITO - A pimenta, o álcool e alimentos condimentados não são a causa do surgimento das hemorróidas, porém os portadores da doença hemorroidária podem ter um agravamento do quadro com o consumo dos mesmos.

7 Dicas Para Prevenir o Aparecimento de Hemorróidas

  1. Mantenha uma alimentação saudável, rica em fibras: frutas, verduras, legumes e cereais
  2. Faça refeições regulares (café da manhã, almoço e jantar) e coma devagar, mastigando bem os alimentos e evitando a ingestão em excesso de alimentos constipantes, tais como: massas com farinhas refinadas, batata, chocolate, chá mate e chá preto.
  3. Beba líquidos em abundância. Inclua em sua dieta muita água e sucos naturais na quantidade mínima de 2 litros diários.
  4. Vá ao banheiro sempre que tiver vontade. Deixando para depois as fezes podem ficar secas e endurecidas, difíceis de serem eliminadas.
  5. Evite o uso abusivo de laxantes. Utilize medicamentos apenas com orientação médica.
  6. Faça exercícios com regularidade. Comece caminhando, pedalando ou nadando no mínimo 3 vezes por semana. Aumente o tempo progressivamente, respeitando o seu condicionamento físico.
  7. Evite ficar longas horas do dia na mesma posição. Mesmo durante o horário de trabalho procure caminhar com frequência por alguns minutos evitando permanecer sempre sentado.
Veja os serviços prestados

Convênios

  • Advance
  • Allianz Saúde
  • Ameplan
  • Amil
  • Apeoesp
  • Bradesco Saúde
  • Caixa Seguros
  • Care Plus
  • Cassi
  • Cetesb
  • Classes Laboriosas
  • Dix
  • Economus
  • Fundação CESP
  • Gama Saúde
  • Grupo Saúde Bresser
  • Hapvida
  • Intermedica
  • Itau
  • Life Empresarial
  • Mapfre
  • Marítima Saúde
  • MedService
  • Metrus
  • Notredame
  • Omint Saúde
  • Ônix
  • Portomed
  • Porto Seguro
  • Sabesprev
  • Santamalia
  • Saúde Secular
  • SP Trans
  • Sul America Saúde
  • Unafisco
  • Unimed
  • Unimed Rio
  • Unimed Seguros